domingo, 15 de julho de 2012

Lúcifer e o Inferno.

Hoje venho trazer a vocês o meu post mais polêmico post que já fiz, espero que discordem muito, vou adorar isso. Príncipe das Trevas, O Inimigo de Deus, O Senhor da Escuridão, e todos os outros adjetivos negativos que se pode imaginar, porém será Lúcifer realmente aquilo que alegam? Ou será ele apenas um bode expiatório criado por uma religião suja, erguida sobre mentiras e sangue, para poder dominar e amedrontar seus "fiéis"? Esse é um texto que mostra o ponto de vista do povo Judeu sobre a crença no Inferno e no Diabo, e ele é baseado 100% no Antigo Testamento. Julguem vocês mesmos.

Nota: Esse texto foi criado por "אריה יהודה" e foi postado na comunidade do Orkut Biblioteca de Lúcifer no post intitulado "Não existe Inferno e muito menos Lúcifer." 


Não existe Inferno.
Bom vamos começar explicando o primeiro ponto... Não existe inferno na visão judaica e nenhum livro sagrado judeu sustenta essa tolice inventada por teólogos cristãos para botar medo nas pessoas e assim conseguirem mante-las aprissionadas as "suas verdades". O texto abaixo foi uma resposta minha a um ex-pastor da igreja Assembleia, que tentou me provar a existencia de tal lugar, peço que leiam com atenção e qualquer duvida me questionem antes que entre no assunto sobre Lúcifer.

Como sabemos, a existência de um lugar chamado “inferno/ guehinom/ hades” cuja característica seja ser um local de sofrimento e punição pós-morte, para seres humanos e “anjos caídos” (vulgo, demônios) é impossível. As Escrituras Sagradas Hebraicas, jamais mencionam a existência de tal local, de modo que isto basta para determinar que tal local não existe, já que não faz parte da Revelação de D’us sobre o mundo espiritual. Depois, temos o testemunho dos Sábios de Israel, os receptores da Tradição que trouxeram as Escrituras até nossos dias, os quais atestam que tal conceito inexiste no pensamento hebreu. Em seguida, temos a lógica e o bom senso, derivados de nossa faculdade racional, que nos impede acreditar na existência de tal lugar; e ainda, nos impede de atribuir à D’us a existência de tal lugar.



Versículos isolados de seu contexto, distorcidos e modificados; mal traduzidos e tendenciosamente alterados; formam o arsenal de alegações cristãs, na tentativa de “demonstrar” a existência de conceitos inexistentes nas Escrituras Hebraicas. Para que tais ideologias sejam desmistificadas, temos que devolver os versos isolados, aos seus respectivos contextos; corrigindo as traduções distorcidas e interpretações tendenciosas; quando então contemplamos a falsificação da verdade das Escrituras Hebraicas realizada para sustentar as alegações cristãs:
O primeiro verso apresentado por você foi Jó 26:06.....O inferno está nu perante ele, e não há coberta para a perdição.

 Este é um verso isolado, de uma das respostas de Ióv (Jó) ao seu amigo Bildad.
Bildad alega erroneamente que o ser humano não seria essencialmente puro e; portanto, não poderia ser considerado justo perante D’us por mais que se esforce. Ióv responde que a própria faculdade de compreensão que ele possui, concedida por D’us, prova que a essência humana é pura, e que D’us, pela Sua grandeza, não é afetado pelas fraquezas humanas e; portanto, os erros involuntários do homem não o impedem de estar em harmonia com os princípios divinos; porque D’us usa as punições e sofrimentos como meios de purificar o homem justo, para que amadureça, e progrida em seu caminho de justiça. O texto hebraico, os textos não são divididos em “capítulos e versículos” conforme se vê nas Bíblias cristãs. No texto hebraico, as divisões dos textos estão de acordo com sua compilação, e são mantidos assim em cada cópia de manuscrito. Então saiba que apenas manteremos a citação de capítulos e versos para fins didáticos, até que você se acostume com as referências hebraicas das Escrituras.

O verso hebraico citado é o seguinte:
ערום שׁאול נגדו ואין כסות לאבדון׃
Perante ELE estão abertos os sepulcros e nada encobre a destruição.

Ióv está dizendo que perante D’us, a vida e a morte de cada ser vivo é contemplada; e até mesmo a decomposição dos seres “está sob Seu controle”. Geralmente as pessoas acreditavam que D’us teria domínio limitado, e atribuíam a morte e a decomposição dos seres, à ‘semi-deuses’ ou entidades fantasmagóricas ou demoníacas. Ióv está dizendo, porém, que “TODOS” os fenômenos biológicos e naturais possuem uma única fonte e origem, que apenas D’us controla todas as coisas, e tem domínio sobre o homem, tanto quando ele nasce como...
...quando ele morre e se desfaz. No verso seguinte, Ióv continua dizendo, “Sobre o abismo ELE estendeu o norte, e sobre o nada ELE suspendeu a terra”. Ióv passa a mencionar o sistema natural, demonstrando que também a ordem natural dos planetas, suspensos no vácuo; tem uma e a mesma fonte – D’us. Assim, D’us é aquele que controla todos os fenômenos dentro e fora de nosso mundo. E portanto Ióv demonstra que Ele é quem concede ao homem a justiça, quando este lhe obedece aos Mandamentos, e que as falhas humanas nada impedem que o homem seja justo, porque D’us purifica constantemente o homem neste mundo, por meio do exercício de todas as suas leis estabelecidas.

O próximo verso mencionado por você foi:
Salmos 9:17.....Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.

O texto hebraico referido, está em Tehilim 9:18 e na verdade diz:
ישׁובו רשׁעים לשׁאולה כל־גוים שׁכחי אלהים׃
Os ímpios voltarão ao abismo, assim como todos os povos que do Eterno se olvidam.

O fim dos perversos será sua morte, que será considerada para eles, o “retorno” e não a “ida”; porque o perverso mesmo vivo é considerado “morto” porque renunciou à vida, escolhendo o caminho da violação dos Mandamentos. Seu túmulo está sendo comparado a um abismo, para onde aquele que cai jamais volta; assim como o perverso que morrerá e não voltará à existência, antes, morrerá como morrem os animais e será aniquilado. Assim, David está declarando que o julgamento de D’us se estende por todas as nações, e não apenas sobre a nação de Israel; confirmando que “todos” os povos têm uma Aliança com D’us, uma aliança estabelecida deste o princípio, na época de Noah o justo. D’us cobra de Israel a observância dos 613 Mandamentos do Pacto do Sinai, e cobra das nações a observância das 7 Leis de Noah, como requisito mínimo de justiça para que as nações permaneçam no mundo.
Portanto, em qualquer nação do mundo; aquele que violar o requerimento mínimo de justiça divina, estará semeando a injustiça no mundo; propagando a perversidade, e será aniquilado na sua morte para não mais voltar à existência.

O próximo verso mencionado por você foi:
Provérbios 5:05.....Os seus pés descem para a morte; os seus passos estão impregnados do inferno.

O texto referido na verdade declara:
רגליה ירדות מות שׁאול צעדיה יתמכו׃
Seus pés conduzem à morte e suas passadas aproximam do túmulo,

Shelomo está aconselhando e advertindo sobre os perigos da sensualidade, estabelecendo o perigo da violação do Mandamento sobre a pureza sexual obrigatório tanto a judeus como a não-judeus; ele descreve o perigo que a pessoa promíscua corre, conforme ele declara no verso 3, “Os lábios de uma mulher promíscua destilam mel e (a palavra de) sua boca parece mais macia do que óleo,” indicando com toda clareza, que apesar da aparência de uma mulher promíscua ser atraente, instigar os instintos e convidar ao prazer físico; na verdade “seus pés conduzem à morte e suas passadas aproximam do túmulo” que é o fim de todo aquele que decide violar os Mandamentos de D’us. (Note que estamos apenas analisando o texto de acordo com o contexto, isto é, devolvendo o verso ao seu contexto original)

O próximo verso mencionado por você foi:
Provérbios 15:11.....O inferno e a perdição estão perante o SENHOR; quanto mais os corações dos filhos dos homens?

O texto na verdade diz:
שׁאול ואבדון נגד יהוה אף כי־לבות בני־אדם׃
(Se) ante o Eterno estão o Sheól (túmulo) e a destruição, quão mais, ainda, o (conteúdo do) coração dos filhos dos homens.

Como dissemos anteriormente, os povos antigos atribuíam a morte e a decomposição (destruição) do corpo, à entidades míticas, demônios ou forças do mal. As Escrituras revelam que “TODOS” os fenômenos têm uma única origem – D’us.
Portanto o comentário de David é: Se até mesmo a morte de cada e todo ser existência, e os processos que provocam sua decomposição, estão sob o completo controle do Eterno; quando mais aquilo que os homens pensam enquanto vivos! Pois que, o mistério da morte, sendo perfeitamente conhecido de D’us, não é mais oculto do que aquilo que pensa o homem enquanto vivo. Portanto David está enfatizando a abrangência do domínio de D’us sobre tudo o que acontece, e nos lembra a respeito do Seu completo domínio. O termo hebraico “Sheól” refere-se ao túmulo, o último repouso do corpo. Se para o justo o Sheól é apenas temporário, porque este será ressurreto por D’us na Era de Mashiach, para o perverso o Sheól é como um abismo, pois quando ele for colocado ali, jamais voltará novamente.

O próximo verso mencionado por você foi:
Isaias 28:15.....Porquanto dizeis: Fizemos aliança com a morte, e com o inferno fizemos acordo; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque pusemos a mentira por nosso refúgio, e debaixo da falsidade nos escondemos.

O verso na verdade diz:
כי אמרתם כרתנו ברית את־מות ועם־שׁאול עשׂינו חזה שׁיט שׁוטף כי־עבר לא יבואנו כי שׂמנו כזב מחסנו ובשׁקר נסתרנו׃
Porque dissestes: ‘fizemos um pacto com a morte e com o Sheól estabelecemos um convênio – quando bater o açoite, não nos alcançará, pois da à mentira fizemos nosso refúgio e da falsidade nos ocultamos. ’

O rabino Shelomo ben Itzhak (Rashi) faz o seguinte comentário exegético sobre este verso:

Fizemos um pacto com a morte... Que virá sobre nós... Eles disseram (o profeta diz como deboche) que fizeram um acordo com a morte (por terem aceito a idéia de que os ídolos lhe protegeriam), para que esta fosse distanciada deles, e que a corja dos inimigos; quando passasse pelo mundo, não viesse sobre eles. [Rashi, Ivn Ezra, Redak]
Estabelecemos um convênio... Um limite que achamos que não seria ultrapassado.
Da mentira fizemos nosso refúgio... Ou seja, praticamos idolatria.
Da mentira fizemos nosso refúgio... Ou seja, praticamos idolatria.

O profeta Ieshaiáhu está aqui, fazendo uma declaração a respeito dos judeus que desviaram-se para a idolatria E da falsidade nos ocultamos...ou seja, nossa esperança é que nossos ídolos dos ocultem.
em seu tempo. É claro que os idólatras não chamam seus ídolos de falsidades e mentiras. É o profeta Ieshaiáhu quem os está chamando assim, porque sua intenção é mesmo provocar os idólatras, em cujas promessas estes judeus desviados estão confiantes. O profeta está debochando deles, chamando alegoricamente a confiança deles, como um ‘pacto com a morte’ e dizendo com ironia que eles fizeram da mentira seu refúgio e que colocaram suas esperanças em falsidades.

O próximo verso mencionado por você foi:
Oseias 13:14....Eu os remirei da mão do inferno, e os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua perdição? O arrependimento está escondido de meus olhos.

O texto na verdade diz:
מיד שׁאול אפדם ממות אגאלם אהי דבריך מות אהי קטבך שׁאול נחם יסתר מעיני׃
Do profundo do túmulo Eu os enviarei, da morte Eu os redimirei; Eu serei vossa sentença de morte, e Eu decretarei o túmulo sobre vós. O remorso será ocultado de Meus olhos.

O profeta está repreendendo a nação de Efraim pelos seus pecados, anunciando o decreto Divino sobre eles; estabelecendo que é D’us, o Eterno, quem controla a vida e a morte, e é D’us quem redime aqueles que são justos, ressuscitando-os da morte. Mas para eles, o profeta anuncia que D’us havia decretado a morte; e o tempo de se arrependerem havia terminado. Portanto o profeta disse “o remorso será ocultado de Meus olhos”.
Todos os versículos mencionados impedem qualquer tentativa de honestamente se dizer que as Escrituras Hebraicas ensinam sobre “inferno” tal como quer o Cristianismo. Não existe tal ensinamento nas Escrituras e, portanto não haverão versos, textos ou quaisquer porções das Escrituras que proponham tal teoria falsa. As Escrituras ensinam aquilo que é real, e não fantasias para colocar medo em “fiéis” infiéis. O judaismo acima de tudo lida com a racionalidade do ser-humano, acreditar em D-us é o uso de nosso intelecto e não simplesmente acreditar através de afirmações infantilizadas ou teorias absurdas que fogem a qualquer lógica humana.

As escrituras hebraicas foram traduzidas de forma porca, com o intuito claro de enganar as pessoas para domina-las! Retirar os textos de seus contextos e dar interpretações absurdas é a maior prova de toda a mentira criada.

Com isso termino a explicação do porque o inferno não existe e ninguém pode pegar trechos das escrituras judaicas para defender tal teoria absurda.

Caso ninguém tenha nenhuma duvida sobre as explicações, começarei a falar da mentira criada chamada Lúcifer, ou anjo rebelado etc !

Quero apenas dizer aos mais curiosos que Lúcifer até o século 4 era um nome muito comum entre os cristãos ! basta ler sobre o Bispo Lúcifer Calaritano (em italiano San Lucifero) (m. 370 ou 371) foi um bispo de Cagliari na Sardenha e é um santo cristão conhecido, sobretudo, pela sua oposição ao arianismo. No Concílio de Milão em 354 defendeu Atanásio de Alexandria e se opôs a arianos poderosos, o que fez o imperador Cosntantino II, simpatizante dos arianos, confiná-lo por três dias no palácio. Durante seu confinamento, Lúcifer debateu tão veementemente com o imperador que ele acabou por ser banido, primeiro para a Palestina e depois, para Tebas, no Egito.
No exílio escreveu duras cartas ao imperador, que o pôs sob o risco de martírio.

Após a morte de Constantino e a ascensão de Juliano, Lúcifer foi solto em 362. Entretanto não pode se reconciliar com os antigos arianos. Ele consagrou o bispo Paulino, sem licença, criando assim um cisma. Possivelmente foi excomungado. Nos dá uma pista disso os escritos de Santo Ambrósio, Santo Agostinho e São Jerônimo, que referem-se a seus seguidores como luciferianos, uma divisão que surgiu no início do século V. Jerônimo em seu ALTERCATIO LUCIFERIANI ET ORTHODOXI (Altercação entre Luciferianos e Ortodoxos) demonstra quase tudo que se sabe sobre Lúcifer e suas ideias. Inclui-se entre os principais escritos do bispo de Cagliari: DE NON CONVENIENDO CUM HAERETICIS, DE REGIBUS APOSTATICIS, e DE S. ATANASIO.

Sua festa, no calendário da Igreja Católica é dia 20 de maio. Seu nome demonstra que Lúcifer não era, pelo menos no século IV, apenas um sinônimo para Satã. Todavia, com os movimentos a partir do século XIX houve certa confusão, dando a entender que luciferianos (diferentemente do sentindo teológico que é apresentado aqui) fossem satanistas. É de se observar que isso não faz com que seu culto seja suprimido ou sua canonização reavaliada. Muito embora ele não seja muito citado para evitar mal-entendidos e escândalos.

Uma capela na Catedral de Caligliari é dedicada a São Lúcifer (talvez a única no mundo). Maria Josefina Luísa de Savóia, rainha consorte, esposa de Luís XVIII de França está enterrada lá.

Mas falarei mais sobre esse assunto e mostrarei que não existe nenhum anjo que se rebelou contra D-us.... Tal pensamento é absurdo e não possui nenhuma base nas Escrituras Judaicas.


O nome dele era Yeshaiahu, logo é com esse nome que iremos trabalhar na explicação, afinal nome próprio não se traduz.

Quem disse quem Isaías 53 se trata de Jesus/yeshu?
Os missionários afirmam que jesus morreu por todos nós, e que Isaías indica que jesus é o SERVO descrito em Yesha"yáhu 53, bom vamos realmente ao que interessa todos nós, que é mostrar a verdade a todos!

Para entendermos Yesha'yáhu53 teremos que ler todo contexto, inclusive os textos precedentes em várias partes das escrituras desse grande profeta:

"Desperta, desperta, veste-te de poder, oh Sião; veste-te tua roupa formosa, oh Jerusalem, cidade santa; porque nunca mas venha a ti incircunciso nem imundo" (Isaias 52:1)

"Portanto, Meu Povo conhecera Meu Nome, portanto saberá naquele dia que SOU EU QUEM FALA, EIS QUE SOU EU QUEM CUMPRO" (Isaias 52:6).

"Rompei em Jubilo,exultai a uma,óh reuinas de Jerusalem; porque o Eterno confortou SEU POVO, remiu a Jerusalém.
O Eterno descobriu o seu santo braço aos olhos de todas as nações, e todos os confins da terra verão a salvação que vem de vosso D'us.
Retirai-vos, retirai-vos, da terra de OUTROS POVOS, sai de lá, não toqueis coisa impura; sai do meio dela; purificai-vos, vós sacerdotes, os que leváveis os objetos sagrados do Eterno.”(Isaias 52:9-11).

“Pois nao saireis apressadamente, nem vos ireis, fugindo; porque o Eterno é que irá diante de vós, e o D'US DE ISRAEL será a vossa retaguarda” (Isaias 52:12)
Indiscutivelmente, Isaias esta falando aqui da volta dos Judeus a Jerusalém e sobre o começo da Era Mesianica.
Os missionários afirmam que com o versículo seguinte (Isaias 52:13), o sujeito em discussão muda de repente de Israel para Jesus!

No entanto o tema principal do profeta permanece claramente os seguintes aspectos:
1. O papel de Israel como o povo sofredor.
2. O gradual e assombroso levantamento de Israel para glória e esplendor.
3. O reconhecimento das nações de seus pecados contra Israel.

"Tenho aqui que meu servo será prosperado, será engrandecido e exaltado, e será posto muito em alto" (Isaias 52:13)
Em NENHUM lugar no Tanach o Mashiach é chamado diretamente "o servo de D'us".

Mas Israel, É CHAMADO DE “SERVO” as passagens anteriores mostram isso especialmente no livro de Isaias:

"Mas tu, Israel, meu servo é..." (Isaias41:8).

Lendo esse versículo já claramente podemos ver que não se trata de jesus, até porque o cristianismo retrata Jesus como homem-deus, algo abominável ao judaísmo e as escrituras sagradas:

"Vós sois as minhas testemunhas, do Senhor, e o meu SERVO, a quem escolhi; para que o saibais, e creias e entendas que EU SOU o mesmo; antes de mim, D'us nenhum se formou, e depois de mim NENHUM HAVERÁ.." (Isaias 43:10).

Mais exemplos ainda:

"Agora pois, ouve, Jacob, servo meu, e teu, Israel, a quem EU escolhi.." (Isaias 44:1).

Mais exemplos:

"Lembra-te destas coisas, ó Jacó, tu ó Israel; porque tu és meu servo! Eu te formei, meu servo és tu; ó Israel não te esquecerei de ti." (Isaias 44:21).

"Por amor de meu servo Jacob, e de Israel meu escolhido..." (Isaias 45:4).

"... dizei: Redimo HaShem a Jacob seu servo" (Isaias 48:20).

"e me disse: Meu servo és, oh Israel, porque em ti me gloriaficarei" (Isaias 49:3).

Os messianicos ainda usam esse versículo para confundir, mas como todos já sabemos ISRAEL é o servo de D'us.

"Quem é cego, senão meu SERVO? Quem é surdo, como meu mensageiro que envie? Quem é cego como meu ESCOLHIDO, e cego como o SERVO de HaShem?" (Isaias 42:19).
Na verdade sera o Povo Judeu que na Era Mesianica será prosperado, exaltado, e sera posto muito em alto":


"E estrangeiros apascentassem vossas ovelhas, e os estranhos serão vossos lavradores e vossos vinhadores. E vocês sereis chamados ministros de Hashem, de nosso D'us sereis chamados; comereis as riquezas das nações, e com sua glória sereis sublimes" (Isaias 61:5-6).

Eis que o meu SERVO procederá com prudência; será exaltado, e elevado, e mui sublime.
Como muitos à vista dele pois estava tão desfigurado que não era de um homem, e a sua figura não era a dos filhos dos homens," (Isaias 52:13-14).

Já muito antes, Isaias descreve metaforicamente as dores de Israel:

"Por que quereis ser castigados ainda? Todavia vos revelardes? Toda a cabeça esta enferma, e todo o coração doente. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã; há só feridas, contusões e chagas vivas; não foram espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo." (Isaias 1:5-6).

Mais ainda em diversos lugares da Torah/Tanach encontramos ISRAEL sendo citada de forma personificada, exemplos:

É comum, no Tanach, encontrar a Israel personificado:

"Quando Israel era menino, eu o amei, e do Egito chamei a meu filho" (Oseas 11:1).

Israel tem que suportar por muito tempo o exílio opressivo.

Mas no começo da Era Mesianica, D'us fará que a verdade seja conhecida, e então:

"assim ele espantará muitas nações; por causa dele reis taparão a boca; pois verão aquilo que não se lhes havia anunciado, e entenderão aquilo que não tinham ouvido"(Isaias 52:15).
O mundo será surpreso pelas dimensões ocultas dos Judeus e seu relação com D'us
(Nota-se que isso já acontece!).
Do mesmo modo:

"Reis serão os teus aios, e as suas rainhas as tuas amas; inclinarão com o rosto em terra e lamberão o pó dos teus pés; e saberás que EU SOU o Senhor, e que os que por mim esperam não serão confundidos.(Isaias 49:23)

"E estrangeiros edificarão teus muros, e seus reis te servirão; porque em minha ira te castigue, mas em minha boa vontade tenderei de ti misericórdia" (Isaias 60:10)

"QUEM TEM ACREDITADO A NOSSO ANÚNCIO? E SOBRE QUEM SE MANIFESTOU O BRAÇO DE HASHEM?" (Isaias 53:1).

"Quando Hashem trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, éramos como os que estão sonhando.
Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cânticos. Então se dizia entre as nações: Grandes coisas fez Hashem por eles, estaremos alegres" (Salmos 126:1-3)

Este Salmo fala sobre o tempo em que HaShem fará retornar todos a Israel e junto com a vinda do Mashiach:
"Então diran as nações(Não-Judeus): grandes coisas fez HaShem com estes?", as nações(Não-judeus) se espantarão, talvez a estes HaShem trouxe a redenção, e a estes judeus mesmos que nos desprezávamos?
A estes que nos consideramos sempre como leprosos e doentes?

Talvez a estes trouxe D'us a redenção?

Sobre isto responderá o Povo Judeu:

"Grandes coisas fez Hashem conosco; estaremos alegres!"
As nações não poderão ver o braço de salvação de D'us até que comece a Era Messianica, como declara Isaias:

"Hashem no seu santo braço ante os olhos de todas as nações, e todos os confins da terra verão a salvação do nosso D'us" (Isaias 52:10)

“Pois foi crescendo como renovo perante ele, e como raiz que sai duma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e quando olhávamos para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos”. (Isaias 53:2)

Agora clara descrição do crescimento do Povo Judeu desde sua infância até sua nacionalidade no deserto, depois do Êxodo de Egito:

"que te fez caminhar por um deserto grande e horrível, cheio de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de sede, onde não habia água..." (Deuteronomio 8:15)
Agora compare com:

"Pois a vinha do Senhor dos exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a planta das suas delícias; e esperou que exercessem juízo, mas eis aqui derramamento de sangue; justiça, e eis aqui clamor." (Isaias 5:7)

"Trouxeste do Egito uma videira; lançaste fora as nações, e a plantaste.
Preparaste-lhe lugar; e ela deitou profundas raízes, e encheu a terra. Os montes cobriram-se com a sua sombra, e os cedros de D'us com os seus ramos.(Salmos 80-8-10)

"Desprezado e eliminado entre os homens, varão de dores, experimentado nos sofrimentos; e como que escondemos do o rosto, foi menosprezado, e não o estimamos" (Isaias 53:3).

No Hebraico Bíblico, ainda que a palavra "ish" significa "varão", muitas vezes se refere ao singular, como é o caso aqui (ainda que nós o interpretamos como "varão" porque todo o capitulo de Isaías fala do Povo de Israel no singular e outros lugares mesmo a mesma palavra poderá estar no plural.

E ainda podemos mostrar mais exemplos no Tanach mostrando a palavra "varão" mas falando de Israel como:

"E foram contados os varões (ish) de Israel..." (Juízes 20:17)

"Também Saul e os homens (ish) de Israel..." ( Samuel 17:2)

Assim, o "varão de dores" aqui é Israel, quem verdadeiramente foi e é desprezado e abandonado pelas nações do mundo.

"Certamente levou o nossas doenças, e sofreu nossas dores; e nós lhe tivemos açoitado, por foi ferido de D'us e oprimido. Mas o ferido foi por nossas rebeliões, por nossos pecados; o castigo de nossa paz foi sobre o, e por suas chagas fomos nós curados. Todos nós, nos desagarramos como ovelhas, cada qual se desviou de seu caminho; mas Hashem carregou o pecado de todos nós" (Isaias 53:4-6)

No tanach Israel tb é descrita do mesmo modo em outras partes:

"E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor atar a contusão do seu povo, e curar a chaga da sua ferida." (Isaias 30:26)
O profeta Jeremias tb diz o mesmo respeito de Israel em:

"Porque assim disse Hashem: Incurável é a tua fratura, e gravíssima a tua ferida"(jeremias 30:12)

Até a vinda do Mashiach, Israel sofrera pelos pecados das nações. E no começo da Era Messianica, no entanto, as nações farão elas mesmas merecedoras das dores e calamidades que causaram aos Judeus, os portadores da Verdade Divina, portanto:

"Assim virão muitos povos, e poderosas nações(Não-judeus), buscar em Jerusalém o Senhor dos exércitos, e suplicar a bênção do Senhor.
Assim diz o Senhor dos exércitos: Naquele dia sucederá que dez homens, de nações de todas as línguas, pegarão na orla das vestes de um judeu, dizendo:

Iremos convosco, porque temos ouvido que D'us está convosco. (Zacarias 8:22-23)

"... a Ti venham nações(Não-judeus) dos extremos da terra, e dirão:

Certamente nossos pais herdaram mentira, vaidade, e não há neles proveito. Fará talvez o homem deuses para si? Mas eles não são deuses" (Jeremias 16:19-20).

"As nações(Não-judeus) o verão, e envergonhar-se-ão, por causa de todo o seu poder; porão a mão sobre a boca, e os seus ouvidos ficarão surdos. Lamberão o pó como serpentes; como répteis da terra, tremendo, sairão dos seus esconderijos; com pavor virão ao Senhor nosso D'us, e terão medo de ti (Miquéias 7:16-17)

"Angustiado o, e aflito, não abriu sua boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e como ovelha adiante de suas tosquiadores, mudo, e não abriu sua boca" (Isaias 53:7)

Em outra parte ISAREL também aparece nesses termos:

"Nos entregas como ovelhas ao matadouro, e nos espalhaste entre as nações(Não-Judeus)" (Salmos 44:11)

"Mas por causa de Ti nos matam cada dia; somos contados como ovelhas para o matadouro" (Salmos 44:22)

"Por prisão e por juízo foi tirado; e seu geração, quem a contasse?
Porque foi cortado da terra dos viventes, e pela rebelião de meu povo foi ferido" (Isaias 53:8)
Cada nação será culpada porque o Povo de Israel "foi cortado da terra dos viventes", isto é, exilado da Terra de Israel, e se afligiram ao saber que foram os causadores da aflição "pela transgressão de meu povo que foi ferido"

O profeta Ezequiel utiliza a mesma metáfora ao referir-se ao exílio do Povo Judeu:

"E me disse:

O Filho de homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Tenho aqui que dizem:

Nossos ossos estão secos, e nossa esperança esta perdida. Somos totalmente cortados. Profetiza diz:

Assim diz D'us o Eterno:

Tenho aqui que abrirá vossos sepulcros, OH MEU POVO, E VOS TRAREI À TERRA DE ISRAEL.... E porei Meu espirito em vocês, e vivereis, e vos porei em vossa própria terra..."
(Ezequiel 37:11-12,14)

"E se dispôs com os ímpios sua sepultura, mas com os ricos foi em sua morte, ainda que nunca fez maldade, nem teve engano em sua boca" (Isaias 53:9)

"Em sua morte" em verdade em Hebraico diz "vemotav" "suas mortes" em plural, e se refere às variadas formas que deram morte ao Povo Judeu. Como ser:

Queimados, estrangulados, apedrejados, etc.

"Todavia, foi da vontade do Senhor esmagá-lo, fazendo-o enfermar; quando ele se puser como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias, e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos" (Isaias 53:10)
Um melhor proposito para os sofrimentos de Israel é para restituir a D'us por estes pecados, assim eles voltariam completamente perdoados:

"Eu, EU SOU o que apago tuas rebeliões por amor de meu mesmo, e não me lembrar de teus pecados" (Isaias 43:25).

"Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícies, e de todos os vossos ídolos, vos purificarei." (Ezequiel 36:25)

Depois de feita esta restituição, Israel será completamente purificada, a nação "linhagem", isto é, que serão abençoados com abundancia, como D"us prometeu:
"e te fará voltar HaShem teu D'us à terra que herdaram teus pais, e será tua; e te fara bem, e te multiplicasse mas que a teus pais"(Deuteronomio 30:5)

"Assim diz o Senhor D'us: Ainda por isso serei consultado da parte da casa de Israel, que lho faça; multiplicá-los-ei como a um rebanho" (Ezequiel 36:27)

D'us fará que "Viva por longos dias", outorgando ao Povo Judeu longevidade:

"Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus escolhidos gozarão por longo tempo das obras das suas mãos:" (Isaias 65:22)

"Pela fadiga de sua alma todo Meu servo, que por seu conhecimento justifico ao Justo ante a multidão, cujas iniquidades carrego sobre sí" (Isaias 53:11)

Os Judeus certamente levaram as iniquidades dos gentis:

Ao longo da história, eles foram discriminados, oprimidos, torturados, roubados e assassinados.

Por próprio submetimento e reconhecendo que isto prove compaixão, eles justificaram e santificaron o Nome de D'us (morreram fazendo "Kidush HaShem").

Na Era Messianica, as nações que realizassem este auto sacrifício e o Povo Judeu será recompensado podemos ver isso em:

"Jurou o Senhor pela sua mão direita, e pelo braço da sua força: Nunca mais darei de comer o teu trigo aos teus inimigos, nem os estrangeiros beberão o teu mosto, em que trabalhaste" (Isaias 62:8)

"E se sentasse cada um embaixo de sua videira e embaixo de sua figueira, e não fará quem os amedronte; porque a boca de Hashem dos exércitos o falou" (Miqueas 4:4)

"Naquele tempo vos trarei, naquele tempo vos recolherei; porque farei de vós um nome e um louvor entre todos os povos da terra, quando eu tornar o vosso cativeiro diante dos vossos olhos, diz o Senhor" (Sofonias 3:20)
"Por tanto, eu lhe darei parte com os grandes, e com os fortes repartirá despojos; porquanto derramou sua vida até a morte, e foi contado com os pecadores, tendo o levado o pecado de muitos, e orado pelos transgressores" (Isaias 53:12)
Através dos anos, o Judeu "levou o pecado de muitos" :

Acusado injustamente e negado a um juízo justo, foi frequentemente "contado com os pecadores" e ter "derramado sua vida até a morte". No entanto, no meio de toda esta perseguição, os Judeus "oraram pelos transgressores [Gentis]", como diz em:

"E tentai a paz da cidade à qual vos fiz transportar, e rogai por ela a Hashem; porque em sua paz tereis vocês paz" (Jeremias 29:7)

Conclusões
Como todos podem ver ISRAEL não é só personificado em Isaías, mas tb em outros livros da Torah/Tanach.

Então a Torah/Tanach são livros ESCRITOS, PROFETIZADOS E INTERPRETADOS POR SÁBIOS E PROFETAS JUDEUS então cabe a exclusividade da INTERPRETAÇÃO JUDAICA e não de falsidades criadas de más traduções e malícia de pessoas despreparadas com propósitos particulares!

A prova de que sacrifícios humanos não tem validade ao Criador:

II Crônicas 25:3-4

Quando o reino já lhe tinha sido confirmado, ele matou os seus servos que tinham assassinado o rei seu pai.

Contudo não matou os filhos deles mas fez segundo está escrito na lei:

No livro de Moisés, como o Senhor ordenou, dizendo:
Não morrerão os pais pelos filhos nem os filhos pelos pais; mas cada um morrerá pelo seu pecado.
Meios para Expiação do Pecado
Então DESMASCARANDO mais uma invenção de igreja:

No judaísmo existem VÁRIOS meios de expiação de pecados até pq não é o Mashiach não expiará o pecado de ninguém, nem derramar sangue humano vide:

(Numeros 16:47-48)
Expiação por meio de incenso!

(Exodo 29:15-16)e (Numeros 31:50)
Expiação com uso do dinheiro e valores !

(Levitico 5:11-13)
Expiação por meio do uso da flor de farinha.

(Oséias 14:2)
Expiação por meio da oração!

(Ezequiel 18:30-32)
Expiação pelo arrependimento sincero ao Criador.


Mais exemplos de expiação depois da destruição do 2º templo(depois do tal jesus/yeshu):

(Ezequiel 33:10-12,14-16,19)
ais exemplos:

“Deixe o ímpio seu caminho, e o homem mal seus pensamentos, e vota-se ao Eterno, o qual terá misericórdia, e ao D-s nosso, o qual será amplo em perdoar” (Isaias 55:7)

Mais exemplos:

"Ouça a casa de Juda todo o mal que eu penso fazer-lhes, e se arrependa cada um de seu mal caminho, e eu perdoar sua maldade e seu pecado” (Jeremias 36:3)

Agora desmontando os ideiais de yeshu/jesus, que supostamente morreu para salvar a todos:

“Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada um morrerá por seu próprio pecado” (Deuteronomio 24:16)

A passagem acima também PROVA que é ABOMINAVEL a morte de um humano para levar pecados dos outros!

Um tanto contraditório a morte de um pseudo-deus-filho para levar os pecados de todos.

Cada um pode acreditar no que bem entender, mas usar livros de outra crença como prova de suas verdades, alterando passagens para justificar argumentos nada a ver, para mim é acima de tudo mal caratismo! Por isso Devil eu te digo que uma pessoa pode acreditar no que bem entender, mas não pode simplesmente dizer que tais coisas tem validade em livros que eles desconhecem.







Realmente interessante não acham?

Um comentário: