domingo, 18 de novembro de 2012

O Corvo





"O Corvo (The Crow - 1995)"

Sinopse:
Um ano após ter sido assassinado juntamente com sua noiva por uma gangue, Eric Draven (Brandon Lee), um músico de rock, retorna da sepultura com a ajuda de um misterioso corvo, com a intenção de se vingar de seus assassinos.



Baseado em uma homônima de James O’ Barr, o diretor Alex Proyas (Eu Robô, Cidade das Sombras) deu vida a uma obra marcante que conseguiu captar toda desesperança dos anos 90. A película basicamente é uma retratação fiel da sua obra inspiradora (o HQ) que por sua vez é uma retratação fiel do estado de espirito de seu criador, James O’ Barr. O’ Barr ao escrever “O Corvo” tentava expurgar de sua alma, toda a dor, raiva e melancolia que tinha por causa da morte de sua noiva, que foi atropelada por um motorista bêbado, que saiu impune pelo crime. O grande mérito de Proyas além de fazer uma adaptação fiel do HQ, foi dar toda uma personalidade ao filme. Desde o cenário totalmente gótico (e gótico de verdade, não o gótico colorido de Tim Burton) aos personagens, passando por boas cenas de ação, o filme todo transmite o choque cultural que ocorreu na transição dos anos 80 para os 90, ou seja, a saída de uma época de onde as musicas de sucesso retratavam dilemas românticos água-com-açúcar e exaltações de festas e de “curtição” para dilemas românticos realistas, desilusão sobre a vida e critica social. Claro que os anos 90 tiveram muita “cor” na sua parte mais mainstream pop, mas a contracultura que nasceu com a explosão do grunge tendo o Nirvana como ponta-de-lança mudou diversos parâmetros. A estória do filme é um tanto dramática e triste, bem ao estilo gótico. Com trilha sonora sublime que vai de The Cure com "Burn", passando por Nine Inch Nails com "Dead Souls" (que ao meu ver é a melhor musica do filme), Stone Temple Pilots com "Big Empty" (que ganhou o MTV Movie Awards de 95 como melhor canção), Rage Against The Machine com "Darkness of The Greed", e até Pantera com "The Badge", que é um cover da banda Poison Idea. Um acontecimento trágico e marcante da película foi a morte de Brandon Lee, filho de Bruce Lee. Numa das cenas rodadas para o filme requeria que uma arma fosse carregada, engatilhada e apontada para a câmera, mas, por causa da curta distância do take, a munição carregada era de verdade, mas sem pólvora. Após a realização desta cena, o assistente do armeiro (não o armeiro, que já havia deixado o set) limpou a arma para retirar as cápsulas, derrubando um dos projéteis no cano. A cena seguinte a ser filmada envolvendo aquela arma era o estupro de Shelly, sendo que a arma foi carregada com festim (que normalmente tem duas ou três vezes mais pólvora do que um projétil normal, para fazer um barulho alto). Lee entrou no set carregando uma sacola de supermercado contendo um saco de sangue explosivo. No roteiro constava que Funboy deveria atirar em Eric Draven quando ele entrasse na sala, estourando o saco de sangue. O projétil que estava preso no cano foi disparado em Lee através da sacola que ele carregava, matando-o. Os negativos com a filmagem de sua morte foram destruídos sem nunca terem sido revelados.

Prêmios: 

Prêmio Saturno 1995 (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA)
Indicado na categoria de Melhor Figurino, Melhor Diretor, Melhor Filme de Terror e Melhores Efeitos Especiais.

MTV Movie Awards 1995 (EUA)
Venceu na categoria de Melhor Canção (Stone Temple Pilots)
Indicado nas categorias de Melhor Ator (Brandon Lee) e Melhor Filme.

Curiosidades:
O orçamento foi de US$ 6 milhões e o filme arrecadou US$ 94 milhões nas bilheterias de todo o planeta.

O poema que Eric Draven recita quando entra na loja de Gideon é "The Raven", de Edgar Allan Poe (e a meu ver o sobrenomee “Draven” é um trocadilho com The Raven).

1. "Burn" - The Cure (Robert Smith, Simon Gallup, Boris Williams, Perry Bamonte)
2. "Golgotha Tenement Blues" - Machines of Loving Grace (Scott Benzel, Mike Fisher, Stuart Kupers, Brad Kemp)
3. "Big Empty" - Stone Temple Pilots (Dean DeLeo, Scott Weiland)
4. "Dead Souls" - Nine Inch Nails (Joy Division)
5. "Darkness" - Rage Against the Machine (Rage Against the Machine)
6. "Color Me Once" - Violent Femmes (Gordon Gano, Brian Ritchie)
7. "Ghostrider" - Rollins Band (Suicide) (Martin Rev, Alan Vega)
8. "Milktoast" (also known as "Milquetoast") - Helmet (Page Nye Hamilton)
9. "The Badge" - Pantera (Poison Idea)
10. "Slip Slide Melting" - For Love Not Lisa (For Love Not Lisa)
11. "After the Flesh" - My Life with the Thrill Kill Kult (Buzz McCoy, Groovie Mann)
12. "Snakedriver" - The Jesus and Mary Chain (William Reid, Jim Reid)
13. "Time Baby II" - Medicine (Jim Goodall, Brad Laner, Jim Putnam, Ed Ruscha, Beth Thompson)
14. "It Can't Rain All the Time" - Jane Siberry (Graeme Revell, Jane Siberry)

Um comentário: